[PARA ASSISTIR] Atypical - uma jóia perdida na Netflix

Eu não lembro exatamente quando assisti Atypical, sei que foi em algum momento entre o final do ano passado e o começo deste ano. Fiquei pensando se falaria da série aqui ou não, até que decidi que sim. Essa série merece ser indicada aqui no Inventando Assunto. Ainda mais porque eu não vi tanta divulgação dela... E sabemos que a Netflix tem o terrível hábito de não divulgar como deveria algumas séries e depois cancelá-las com a justificativa de falta de público (Como eles fizeram com One Day at a Time e até agora não consegui acreditar).

Os Gardner. Foto: Divulgação


Atypical conta a história da família do Sam Gardner (Keir Gilchrist), um adolescente com espectro autista que está tentando se descobrir e descobrir o amor. Sam decide que quer uma namorada, e que também quer um pouco de autonomia, uma vez que, considerando sua condição psicológica, sua mãe Elsa (Jennifer Jason Leigh) se tornou extremamente protetora, o que agora ele entende como algo que o atrapalha, de certa forma. Sam é um garoto muito inteligente, com um humor peculiar e uma paixão pela vida marinha, não vejo como não se encantar com ele e com suas descobertas.

Além de toda a trajetória de Sam, também nos são apresentados os conflitos da sua irmã Casey (Brigette Lundy-Paine), que é uma atleta se preparando para conseguir bolsa de estudos, mas que, como toda adolescente, tem seus próprios dilemas, além dos problemas de relacionamento com a mãe. Outro drama familiar dos Gardner é a relação de Elsa e seu marido Doug (Michael Rapaport), pois há uma tensão que a gente demora um pouco pra entender, porém é tratada de forma muito interessante.

A construção dos personagens é incrível. Eu adoro séries e filmes que se passam durante a adolescência e trazem um pouco do ambiente escolar, porém algumas vezes todas as interações ficam forçadas. Em Atypical isso não acontece. A série tem os alívios cômicos nos momentos certos e sem perder o fio das cenas. Inclusive um personagem importante e que faz muito bem o alívio cômico é o amigo do Sam, Zahid (Nik Dodani).

A forma como os assuntos são tratados com delicadeza e seriedade foi o que ganhou meu coração. A série não fala apenas sobre o espectro autista, ela fala de relações familiares, amizade, descobertas e também aceitação, entre outros muitos assuntos. Além disso os episódios têm uma duração que eu considero muito boa, em torno de 30 minutos, o que dá para aproveitar o episódio sem cansar.

Quando assisti, as 2 primeiras temporadas já estavam disponíveis, então eu as devorei bem rapidinho. Já vi que a série foi renovada e que logo logo uma terceira temporada estará disponível.

Aqui deixo o trailer oficial da série legendado!



Eu não vejo a hora de sair a data da próxima temporada pra eu assistir tudo de novo, porque essa série merece.

Vocês já viram esse cristalzinho de série? Gostaram? Quem não viu ainda, se interessou? Vamos falar sobre ela nos comentários?

Comentários

  1. Eu ainda sou a revoltada/inconformada com o cancelamento de One day at a time. Sobre Atypical, eu ainda não assisti, embora todos os professores que conheço tenham divulgado entre si, por conta de ter um personagem que tem TEA. Eu ando bem sensível pra essas coisas, então sempre fico entre não assistir ou assistir e chorar litros. hehehe

    Obrigada pela dica!

    Um beijo,
    Fernanda Rodrigues | contato@algumasobservacoes.com
    Algumas Observações
    Projeto Escrita Criativa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, nem me fale de One Day at a Time que já dá vontade de cancelar a Netflix! Haha.

      Sobre Atypical eu me apaixonei mesmo! Eu ainda não entendo porque demorei tanto pra ver. A série trata do assunto de forma delicada e até mesmo bem humorada.
      Assiste e depois me conta o que achou?

      Um beijo,
      Aline

      Excluir
  2. Ai eu adoro Atypical! É uma série tão gostosa de assistir. E também gosto muito do tempo de duração dos episódios, porque realmente não cansa. É um meio termo, nem muito rápida e nem muito demorada. Haha
    Beijos!

    Fe
    www.femrgd.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Atypical é uma joia mesmo!
      Eu acho que 30 minutos é um excelente tempo pra episódios, mas parece que os produtores de série pensam diferente... as séries cada vez tem episódios maiores haha.

      Um beijo,
      Aline

      Excluir
  3. Eu já li algumas resenhas sobre essa série, mas nunca parei para assistir. Mas como estou carente de uma que seja nesse estilo: leve, divertida e tal, vou tentar assistir hoje ou, no máximo, amanhã. Obrigada pela dica! E não sabia que já tinha a 2ª temporada. Amei! ♥

    Beijos, Carol
    www.pequenajornalista.com

    ResponderExcluir
  4. Realmente a Netflix deveria divulgar melhor suas séries, eles focam muito em divulgar grandes nomes e acaba que séries bacanas menores não ficam conhecidas. Atypical me ganhou porque adoro drama adolescente kk vou dar uma chance!

    Um beijo,
    Blog da Kitbox

    ResponderExcluir
  5. Essa série já passou batido por mim várias e várias vezes! Achei justamente que seria apenas mais uma série adolescente, mas agora vendo que a produção não perde o fio da meada e aborda assuntos diferentes vou tentar encaixá-la aqui quando finalizar alguma outra série! Mais alguém acumula séries por terminar aqui? haha
    Um beijo
    Dai Castro | http://colorindonuvens.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Você pode comentar mesmo sem possuir conta no Google, alterando para a melhor opção no menu "Comentar como:". Caso não possua uma conta à qual vincular, selecione a opção Nome/URL e deixe a URL em branco, comentando apenas com seu nome.

Use o bom senso para comentar, pois não serão aprovados comentários contendo mensagens agressivas, de baixo calão ou preconceituosas. Vamos manter uma blogosfera agradável.

Deixe o endereço do seu blog para que eu possa conhecer também!