terça-feira, 7 de março de 2017

Diário de Viagem #1: Embarcando e passando pela Imigração.

Isso vai demorar um bocado para ser finalizado, mas vamos começar do começo, não é?

O meu vôo era de madrugada, eu sairia à 1h45 do dia 03/09 do aeroporto de Guarulhos, então no dia 1 eu já estava pronta para ter chiliques e sofrimentos adiantados (SAUDADE, medo, dramas sem fim!). Foi ai que eu descobri que não tinha 2 ingressos! Que a agência deveria ter me mandado e não mandou, além disso eu havia sido informada que o voucher seria trocado pelo ingresso, tudo errado! Então foi meio desesperador, porque para me ajudar a loja em que comprei havia fechado (SO-COR-RO). Até que me acalmei e liguei no atendimento da empresa para viajantes e eles me enviaram os ingressos. Contando parece bem mais "de boa" do que realmente foi, porque acreditem, eu surtei!

No dia 2 foi tudo meio estranho, eu estava muito feliz porque ia viajar, mas estava com medo porque nunca tinha passado tanto tempo longe de casa e dos meus pais, sem contar que estava indo para outro país sem confiar muito no meu inglês, tudo muito propício para eu ficar nervosa. Aguentei firme o dia todo, inclusive quando me dei conta no almoço que eu não comeria a comida da minha mãe até voltar pro Brasil e isso mexeu muito comigo, de verdade. Então quando eu olhei pro meu cachorro eu quis chorar, porque ele é velhinho e eu sei lá porque senti medo de ele morrer enquanto eu estava fora. SÉRIO, a crise chegou a esse nível.

Fomos todos para o aeroporto, super cedo porque eu estava com medo de chegar atrasada. Sexta feira a noite sempre me preocupa (sim, eu sou ansiosa!), como meu pai não tem o hábito de dirigir em São Paulo pedimos para o meu irmão ir conosco. Fomos eu, meus pais, meu irmão e minha cunhada! Tudo certo no aeroporto, identifiquei o local do Check-in e ficamos esperando, mas como ia demorar muito e meu irmão tinha um compromisso, acabou que quando abriu o check-in meus pais foram se despedir de mim. E TCHARAAAAAAMMMM eu comecei a chorar, tipo MUITO! Todo o medo que era pra eu ter sentido desde quando inventei que ia fazer essa viagem eu estava sentindo naquele momento. Foi tudo muito estranho e meu pai ficou bem preocupado comigo, então tive que explicar que eu estava feliz e eles não tinham com o que se preocupar.

Então eu estava sozinha, com uma mala gigante e uma idéia maluca na cabeça, toda a ansiedade me corroendo e ah, o rosto vermelho e inchado porque eu não conseguia mais parar de chorar. E bem, é por essa razão que eu não tenho fotos no aeroporto, ok? Depois que despachei as malas ainda tinha algum tempo antes de ir para a sala de embarque e resolvi comer alguma coisa, nessa hora um amigo me ligou para desejar boa viagem e adivinha só? Voltei a chorar! Vale ressaltar que na sala de embarque eu fui reconhecida por uma moça como a menina que estava chorando no check-in, a moça achou que eu estava me mudando pro exterior! Que vergonha!

Meu vôo partiu pontualmente, eu nunca tinha estado em um avião tão grande rs. Ja havia voado com a Avianca antes, mas aqui no Brasil mesmo (saudades, Floripa ♥). Acredito que a ficha ainda estava caindo, e bem aos poucos rs. O avião era bem confortável e por ser vôo internacional, os comissários só falavam em espanhol com a gente ou inglês, até ai ok. O primeiro vôo foi em um avião com a configuração 2-4-2 (acho que era isso, não entendo de aviões), então fui sentada na poltrona do corredor de uma das fileiras de 2 cadeiras (eu que escolhi). Ao meu lado foi um rapaz que não falou comigo durante o vôo, mas eu "espiei" o passaporte dele e descobri que era Mexicano. Eu acreditei que serviriam comida no começo do vôo, mas fui enganada. Tentei dormir, mas como não consegui dormir, assisti um filme (Alice através do espelho).

Chegando em Bogotá, onde eu faria uma conexão de aproximadamente 2h30 eu pude enfim andar com tranquilidade porque estava pisando no chão de verdade, razão pela qual agradeci imensamente ter optado por um vôo com conexão! Com a minha bagagem de mão que era uma mochila, eu pude usar um banheiro de verdade e também dar uma voltinha pelo duty free (mas não comprei nada!) e procurar o portão de embarque do próximo vôo. O Aeroporto Internacional El Dorado me pareceu bem grande naquele primeiro momento, mas facilmente eu me encontrei por lá. Pude mandar mensagem para algumas pessoas importantes avisando que estava bem (pelo wi-fi do aeroporto) e também conversar com meu pai rapidinho o que me ajudou a acalmar o coração.

Chegou a hora do segundo vôo e este avião já era um pouco menor. Nessa já era 8 e pouco da manhã (na Colômbia e umas 10 no Brasil). O vôo saiu pontual, mas não sem antes alguém sentar na poltrona errada e a comissária precisar socorrer o pessoal. Ao meu lado viajou um casal de chilenos residentes em Orlando com quem eu conversei quando já estavamos quase chegando, então eles me contaram várias coisas sobre a vida lá em Orlando e depois me acompanharam até a imigração quando chegamos na Terra da Magia. Neste vôo eu preenchi o formulário azul de imigração onde informamos se estamos levando valores altos em dinheiro, comida, etc

O Aeroporto Internacional de Orlando é ENORME e lindo! O vôo chegou uns 30 minutos antes do previsto e fui direto para a Imigração, havia um rapaz direcionando as pessoas para as filas, ao ver que meu formulário estava em português ele me encaminhou para uma fila. O Oficial de Imigração que me atendeu falava espanhol, mas eu não falo (hahaha) então tentei improvisar meu portunhol! Ele me fez várias perguntas e acredito por eu estar sozinha pela primeira vez nos Estados Unidos ele perguntou bastante mesmo e lembram da minha ansiedade? Eu já estava fantasiando uma deportação! Mas no final o Oficial descontraiu um pouco e carimbou meu passaporte e disse a tão esperada frase "Welcome to America". Neste momento eu estava que nem essa galerinha no GIF ai:

Peguei essa imagem aqui

Só que eu ainda não podia usar o telefone, então ninguém sabia disso hahaha. Depois de ser liberada para entrar em solo americano eu fui pegar minhas malas e quando cheguei na esteira minha mala estava me esperando junto com outras malas. Muito legal! Passei então pela Alfândega onde entreguei o formulário azul e então fui andar no aeroporto para encontrar o local onde pegaria o Disney's Magical Express para o hotel.

Sei que peguei um monorail (onde eu liguei o celular e acessei o wi-fi do aeroporto), sei também que há várias lojas no aeroporto porque dei uma olhadinha, mas eu tava tão cansada que nem fiquei muito por lá e também precisei pegar um elevador que foi a parte difícil porque eu não achava um jeito de "chamar" o elevador. Mas não me pergunte a ordem dessas coisas porque estava ainda atordoada e tentando falar com minha família!

Então achei o local de onde saem os ônibus e eu sei que em algum lugar no aeroporto existe uma decoração do Mickey, mas eu não vi (chorando aqui) e não pude tirar foto! Cheguei até a área do transporte e mostrei meu voucher da reserva e fui encaminhada para o ônibus por um Cast Member (funcionário da Disney) muito gentil e que usava um chapéu de comandante!!


O trajeto do Aeroporto até o hotel não levou mais do que 40 minutos e a vista é linda! Eu estava completamente deslumbrada. O ônibus é bem confortável e havia muitas famílias americanas nele, porque cheguei em um final de semana de feriado, na segunda-feira, dia 5 seria o Labor Day, então muitas famílias tiraram o feriado para passear na Disney. Esse portal da Foto é lindo, e há outros pontos onde aparecem outros personagens, mas só tenho essa foto ruim ai!

Para um primeiro post que está absurdamente atrasado, acredito que seja suficiente. No próximo pretendo falar do hotel e como foram minhas primeiras impressões. Talvez misture algumas coisas de outros dias, mas é porque algumas coisas já estão meio embaralhadas na minha cabeça. Essa é uma forma de não esquecer certos detalhes.

Espero que tenham gostado! Me contem o que acharam e o que mais querem saber ai nos comentários! :D




Siga também por aqui: Facebook / Bloglovin / Pinterest / Instagram / We ♥ it

13 comentários:

  1. Oi Aline! Minha primeiríssima viagem internacional (e ainda por cima sem os pais! Cruzes!) foi para Orlando e eu tenho muito carinho, até mesmo quando lembro do avião, da espera no aeroporto e tudo o mais. No meu caso, foi tudo muito tranquilo e não tive nenhum problema, mas lembro que estava nervosa e mesmo sabendo falar em inglês, quando o cara falou que minha mala não poderia ir comigo no avião ou teria que passar por um negócio lá, eu não entendi e já estava morrendo achando que tinha dado algo errado hausihia. No final era só algo padrão que não tinha lido xD Que legal que a Disney disponibiliza esse transfer todo especial para os hotéis, no meu caso eu fiquei em uma casa e confesso que foi uma ótima opção (estávamos em 7 e era muuuuuuito confortável), mas acho que se eu fosse sozinha ou por pouco tempo optaria por um hotel também. Eu tenho uma sééérie de posts da minha viagem pra Orlando no meu blog, vamos trocar figurinhas rsrs

    Beijos, Vickawaii
    http://finding-neverland.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Victória, deu um aperto no coração tão grande quando eu vi que eu realmente estava saindo do país sozinha hahahaha... Mas foi uma das melhores experiências da vida, e pretendo repetir em 2018 (talvez não sozinha, mas não ligo se for sozinha também!). Eu estudei sobre isso praticamente porque morria de medo de algo dar errado!
      Vou ler seus posts!! Já dei uma olhadinha lá, mas andei meio sem tempo e agora vou maratonar os blogs do pessoal!

      Um beijooo!

      Excluir
  2. Adoro o seu jeito de contar as histórias! :D
    E sei bem como é essa ansiedade de "será que na minha volta todo mundo estará vivo e inteiro?". É desesperador mesmo.

    Fico feliz que tudo tenha dado certo e tenha sido mágico! ♥

    Quero ler os próximos posts sobre isso!

    Beijos,

    Algumas Observações

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Fernanda, eu gosto de me sentir conversando com amigos quando escrevo aqui!
      Minha nossa, eu tive várias neuras que vieram todas na hora de viajar, mas deu tudo certo sim e foi lindooo! Não vejo a hora de voltar!

      Vou tentar aproveitar minhas férias para escrever o restante dos posts!

      Um beijo ♥

      Excluir
  3. Ai, Aline, até eu fiquei com angústia quando você relata que chorou vendo seu cachorro velhinho :(. Já passei por isso e, nossa, só quem tem um idoso de 4 patas em casa para entender.
    Olha, minha primeira vez na imigração foi bem assim mesmo, uma neura, um medinho. Quando passei pela imigração, queria chorar de emoção! Bem o gif que você colocou mesmo rs.
    Eu não tenho muitas lembranças boas do aeroporto de Orlando, porque, assim que pisei lá, estava uma época tão, mas TÃO úmida, que automaticamente fiquei cheinha de alergia (sério, minhas costas e meu braço eram só bolinhas coçantes). Mas logo melhorou e eu acostumei com a umidade-cabelo-cheio-de-frizz da Flórida.
    E você foi totalmente sozinha? Nossa, estou absurdamente orgulhosa da sua coragem. Acho que eu não conseguiria sequer achar a saída do aeroporto por mim mesma, rs.
    Quero parte 2 já!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kari,
      É muito angustiante mesmo a gente não saber o que vai acontecer com eles :(. Infelizmente meu bebê morreu agora sexta feira e estamos aqui numa tristeza só.

      Eu tenho certeza que vou ficar com medo da imigração todas as vezes em que precisar passar por ela. E vou reagir do mesmo jeito depois de passar hahha.

      Eu achei que meu cabelo ficou horrível lá e eu fiquei super inchada, não sei por que... Mas estava feliz, então nem me importei!

      Fui sozinha. Uma amiga foi na mesma época e marcamos dois passeios juntas, além dela tinha um pessoal que eu conheci em um grupo no face e que acabei encontrando em algumas ocasiões, mas a maioria das coisas fiz sozinha... Foi uma ótima experiência porque descobri várias coisas que posso fazer e nunca tinha pensado que podia!

      Espero conseguir escrever bastante agora nas minhas férias, por que já passou da hora de colocar isso em dia hahah.

      Beijão!

      Excluir
  4. Um ano atrás mais ou menos eu viajei sozinha para salvador, hoje vou viajar junto com minha irmã de 13 anos para São Paulo, só nós duas. Estou terrivelmente nervosa, é claro.
    Tenho certeza que uma viagem no próprio país não é que nem a sensação de ir para fora, que nem você que foi para Orlando né?
    Mas é sempre uma ansiedade! Um medinho na barriga! haha

    Beijos
    www.jadeamorim.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  5. Li seu depoimento e fui lembrando dos meus passos até chegar aqui. E que também fiz post.
    A única diferença é que eu demorei tanto pra achar a saída, que só tinha minha mala lá, rodando sozinha HSUIAHIUSHAUISHUIAHSUIH
    Continua contato, adoro essa emoção de detalhes!
    A Bela, não a Fera | Youtube Channel | Vem conversar comigo no Twitter!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, quando eu sai da imigração para pegar a mala, algumas malas estavam lá ainda... Ai fiquei procurando a minha que estava toda cheia de decotape e com umas fitas pink amarradas na alça hahahaha... Ela estava lá porque os funcionários tiram da esteira as malas enquanto a gente passa na imigração...

      Vou tentar dar uma adiantada nesses posts agora nas minhas férias, mas gostei muito de escrever esse primeiro, então vem mais, com certeza!

      Beijoo!

      Excluir
  6. Achei que era só eu que fantasiava deportação hahaha. Juro que eu penso em altos dramas nessas horas. Já passei várias vezes por imigrações mas não me acostumo. Sempre acho que alguma coisa vai dar errada rs.

    Quanto a família, nossa, como eu entendo essa dor de se despedir. A primeira vez que eu viajei foi meio contra a vontade da minha mãe, então eu me fiz de durona. Mas chorei no vôo. Mesmo assim, aquilo foi importante pro meu crescimento. Vai ser para o seu também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vê, eu vou voltar pros EUA no final do ano e já estou surtando com a imigração de novo kkkkk então acredito que nunca vou mudar.

      Meus pais não queriam que eu fosse sozinha não, eles tiveram que acostumar com a idéia... Mas nossa, eu chorei muito rs agora dou risada, mas foi bem difícil na hora. Com certeza a gente amadurece muito quando viaja, ainda mais sozinhas!

      Um beijo

      Excluir
  7. Vc surtou Qse nada com essa questão dos ingressos, Qse nada, nadinha... Eu me lembro bem kkkkkkk

    ResponderExcluir

Você pode comentar mesmo sem possuir conta no Google, alterando para a melhor opção no menu "Comentar como:". Caso não possua uma conta à qual vincular, selecione a opção Nome/URL e deixe a URL em branco, comentando apenas com seu nome.

Use o bom senso para comentar, pois não serão aprovados comentários contendo mensagens agressivas, de baixo calão ou preconceituosas. Vamos manter uma blogosfera agradável.

Deixe o endereço do seu blog para que eu possa conhecer também!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...