Um post sobre mudanças (sem papo de meritocracia, prometo)

Eu sinto que somos impactados, atingidos por tanta coisa, pelas pessoas, pelo meio, pelos conteúdos com que temos contato diariamente e isso faz com que muitas vezes a gente se sinta sobrecarregados, perdidos em meio a tantos estímulos, tantas "verdades"... A gente não sabe muito bem o que quer, porque são opções demais e todas parecem certas, menos aquelas que estão ao nosso alcance.



Nos últimos anos, eu tenho vivido muitas mudanças, fui morar sozinha, depois comecei a morar com o namorado que eu já chamo de marido, virei madrasta, voltei a me conectar com o artesanato e descobri um monte de talento que eu nem imaginava que eu tinha. Acabei com 4 gatos em casa. E no meio disso tudo eu senti várias vezes que estava perdendo as rédeas da minha vida. Senti que não estava vivendo a minha vida e sim a vida dos outros, enquanto trabalhava para pagar as contas.

Me vi cercada de referências online com as quais eu não me identificava de fato, mas continuava consumindo conteúdos que já nem faziam sentido. Descobri a endometriose e ainda estou tentando resolver isso. Eu ganhei muito peso, eu passei por uma pandemia (todos nós passamos), eu tive que aprender novos movimentos e novas formas de viver, uma vez que o mundo não é mais o mesmo, nem meu corpo.  Só que eu também não sou a mesma e quero mudar ainda mais coisas. Só que como fazer isso de uma maneira honesta? Sem ficar apenas achando que vamos conseguir a vida do pinterest?

Eu comecei a perceber que as mudanças vêm de dentro, e não quero ser clichê aqui. O que eu entendi é que a chave de qualquer mudança é o autoconhecimento. São muitos anos na terapia para finalmente entender que eu estou me conhecendo agora, um pouco por dia, então é normal que eu tenha tentado tantas coisas e visto elas dando errado... E depois de tanto tempo lidando com algumas situações, eu decidi olhar pra mim e pra minha vida e fazer planos que fizessem sentido.

De nada adianta eu querer do dia para a noite me tornar alguém super organizada e resolver todas as pendências da minha casa e outras coisinhas que eu estou arrastando faz tempo, eu sei que não funciono assim, que toda a pressão de concluir as coisas me trava e faz com que eu nem comece. Então eu decidi que vou fazer meio que um cronograma para quebrar todas as grandes tarefas em tarefas pequeninas que eu possa ir concluindo aos poucos até que todo o objetivo seja alcançado. Vai levar mais tempo? Depende, porque já faz um tempão que estou falando que vou fazer e ainda nem comecei, logo, qualquer avanço é um avanço que vai fazer ser mais rápido do que foi até aqui.

Além disso eu tenho sentido que minhas demandas e minhas reações têm mudado e eu preciso me adaptar à mim. Que loucura, né? Me vejo mais segura de muitas coisas e assumindo a liderança em situações adversas. O que é familiar, mas ao mesmo tempo, é novo. Fazia muito tempo que eu não me sentia confortável em tomar a frente das coisas e pelo menos tentar resolver questões particulares e coletivas. Isso vem de um lugar de auto respeito. Eu me conheço, sei meus limites e aprendi a me respeitar e é isso que me deu ferramentas para me sentir segura.

Tenho buscado também uma vida com mais propósito. E quando eu falo de propósito, eu falo sobre entender o que é importante para mim e me organizar para construir uma rotina, uma maneira de viver dessa forma. Tenho buscado soluções mais ecológicas para meu consumo (dentro da minha possibilidade) e quero falar sobre isso aqui também, sobre as coisas que aprendi, que pratiquei, que funcionaram e as que não funcionaram também, porque os erros, as falhas fazem parte de todo processo que a gente se propõe a começar... Tenho procurado viver de uma maneira onde eu me encaixe, fazer escolhas menos impulsivas e mais conscientes das minhas necessidades e desejos (as vezes eu peco bastante aqui, mas é aprendizado também). O artesanato me ajuda muito, porque o fazer manual é importante para mim, me mantém focada e me lembra que eu sou capaz de coisas incríveis. Tenho trabalhado para que ele seja de fato um hábito presente nos meus dias e que eu possa realizar muitas coisas alinhadas aos meus propósitos usando minhas mãos.

Tenho estudado as possibilidades de organizar uma rotina em que eu consiga fazer exercícios, me alimentar bem, me divertir, escrever, ler, sem me sobrecarregar e respeitando o meu corpo e a minha mente. Passei por um momento de muito trabalho misturado com um monte de mudanças na vida (de comportamento, de visão, de postura) tudo isso ao mesmo tempo e agora estou retomando as coisas por aqui.

E ai quando eu falo sobre as mudanças virem da gente, não é aquele papo de que somos donos do nosso destino e que as coisas acontecem se a gente quer (meritocracia, sabe?)... É mais sobre as respostas estarem dentro da gente e a gente precisar se conhecer e se respeitar para entender o que queremos e de que forma podemos fazer isso para que os resultados sejam alcançados e a gente possa fazer as coisas da nossa melhor maneira, mas da nossa, não da maneira que apareceu na lista lá do site ou do livro que a gente viu e sim da forma que funciona para nós. Estou bastante esperançosa com tudo isso e quero que essas mudanças também transbordem para minha presença na internet, porque eu sei que isso aqui também é importante pra mim.

Era um desabafo, com um pouco de experiência pessoal. Achei que poderia ser útil compartilhar aqui tanto para dividir meus processos quanto pra conhecer os de vocês. Assim, quem sabe, a gente não se apoia nas mudanças que queremos e fazemos uma corrente de incentivo uns aos outros?

Comentários

  1. Eu amei a reflexão e estou em um momento similar. Achamos que nos conhecemos bem, até descobrir uma nova faceta e precisar rever todo o nosso caminho por não se reconhecer mais. Acho que a cada dia tentar se conhecer como indivíduo é necessário para o progresso.
    beijos
    https://www.dearlytay.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada é permanente, a gente continua mudando, mesmo depois de se conhecer, mas quando a gente começa a entender como costuma funcionar, lida melhor com as mudanças de fora e as dentro também!

      Um beijo :)

      Excluir
  2. É interessante a gente realizar essa balança e uma autoanálise do nosso dia a dia. Adorei o post!

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está no ar com muitos posts interessantes. Não deixe de conferir!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  3. Puxa Aline, eu sinto muito! Espero que você descubra a melhor forma de tratar a endometriose.

    Sei que não é fácil, mas só de você ter a ciência de que há opções para mudar, adaptar e ajustar a vida de uma forma que te faça mais feliz, acho que já é algo a ser celebrado. Não se cobre tanto, porque tem um monte de gente no mesmo barco. Ninguém tem certeza de nada nessa vida.

    Se cuide e muita força e energias boas pra você ♥

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Use o bom senso para comentar, pois não serão aprovados comentários contendo mensagens agressivas, de baixo calão ou preconceituosas. Vamos manter uma blogosfera agradável.

Deixe o endereço do seu blog para que eu possa conhecer também!

back to top