terça-feira, 12 de abril de 2016

Sobre a declaração do Imposto de Renda e todas as coisas das quais eu desisti sem tentar...

Eu havia estipulado na lista de 101 coisas para fazer em 1001 dias que eu aprenderia a fazer a declaração do Imposto de Renda. Então esse ano eu já decidi que ia pelo menos tentar riscar este ítem da lista, porque afinal eu jurava que esse treco era quase impossível de ser feito. Todos os anos anteriores foi meu pai quem fez para mim, esse ano só pedi que ele me avisasse quando já tivesse instalado o programa para que eu pudesse fazer.
Achei que seria muito difícil até começar e ver que no meu caso, pelo menos, era muito fácil. O programa é intuitivo e não demorou muito, minha declaração estava pronta. E alguns dias depois foi enviada. FIM.


Olha o Leão ai.
Imagem daqui


E eu poderia fazer aqui um textão sobre IR e tudo o mais, mas o que realmente importa nessa experiência foi o que eu percebi e o que eu aprendi com ela.
Eu não fazia idéia da facilidade que teria para fazer e enviar a declaração. Jurava que era difícil e que não conseguiria fazer... Tudo isso sem sequer ter tentado nunca. E olha que isso é recorrente. Mas como disse no dia em que contei porque fiz outro blog, como eu posso ter tanta certeza de algo sem tentar? É esse fantasma da ansiedade que está sempre me fazendo acreditar que se eu tentar algo novo isso pode dar muito errado mesmo.

No meio de toda essa revelação eu parei para pensar nas várias vezes em que isso aconteceu e olha que coisa linda eu estou aprendendo este ano: Eu preciso tentar antes de começar a fantasiar um apocalipse zumbi. Preciso acreditar em mim, tanto para os pequenos desafios da vida, como para os grandes. Lembrando que os meus grandes desafios são coisa pouca para a maioria das pessoas que eu conheço. Mas embora isso me assuste e intimide fazendo com que eu não me permita, eu preciso tentar. Se der errado, vai ser realmente uma pena. Mas ainda tem uma grande chance de dar certo, ser lindo, ser um aprendizado.

Foi bom riscar mais um ítem na lista e que me sirva de incentivo para que eu consiga realizar outros e aprender com eles. Essa coisa de lições aprendidas não me sai da cabeça, mas é assim. Se a gente não parar para avaliar o que aprendeu com as experiências elas perdem muito do seu valor. Foi numa coisa simples e que não tem nenhuma importância para muita gente que eu, mais uma vez, me deparei com essa questão da auto-sabotagem e olha, eu vou trabalhar nisso. Melhorar, que é meu propósito, sempre evoluir.

Chega de desistir sem tentar, de achar que as coisas são muito difíceis. Eu tenho condições de realizar tudo o que eu quiser, mas para isso preciso levantar da cadeira e arriscar, se der certo, ótimo! Se não, ainda assim eu aprendi, então de qualquer forma eu ganho.

Essa foi minha lição aprendida, o que vocês têm aprendido com os seus próprios desafios?

Siga também por aqui: Facebook / Bloglovin / Pinterest / Instagram / We ♥ it

4 comentários:

  1. Taí algo que eu preciso fazer: me familiarizar com esse programa. Minha mulher é quem faz a declaração em casa, mas eu preciso aprender!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio, a única coisa é que precisa estar tudo organizado com a papelada para a gente não se perder... Sabendo onde colocar cada coisa, rapidinho da pra fazer.

      Excluir
  2. Oi Aline, tudo bem?
    Eu nunca fiz IR, ou melhor, não sei fazer, mas é como você falou, as vezes uma coisa tão simples, a gente imagina um dragão de 7 cabeças. Dai vai fazer e vê que não é nada demais, e você conseguiu.
    Adorei o post, sempre passando mensagens positivas, beijos ♥
    Leitura Nossa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Line, eu tô bem sim e você?
      Então, é isso mesmo, a gente deixa de tentar algo por medo de não conseguir e esquece que o único jeito de conseguir é tentando. Somos capazes, não devemos desistir.

      Obrigada, a idéia é dividir minhas experiências e aprendizados com vocês.

      Beijos

      Excluir

Você pode comentar mesmo sem possuir conta no Google, alterando para a melhor opção no menu "Comentar como:". Caso não possua uma conta à qual vincular, selecione a opção Nome/URL e deixe a URL em branco, comentando apenas com seu nome.

Use o bom senso para comentar, pois não serão aprovados comentários contendo mensagens agressivas, de baixo calão ou preconceituosas. Vamos manter uma blogosfera agradável.

Deixe o endereço do seu blog para que eu possa conhecer também!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...